O bónus de férias em Itália: a quem se aplica?

Foto de Alexander Ramsey on Unsplash
Foto de Alexander Ramsey on Unsplash
25 maio 2020, Redação

Entre as novidades do decreto de "reabertura" de Itália após a crise sanitária do coronavírus, está o "bonus vacanze" (bónus de férias) de 2020, uma contribuição para o relançamento do setor do turismo em Itália, que foi fortemente afetado pela emergência da COVID-19. Vejamos quem é responsável pelo mesmo, como funciona e como o solicitá-lo, tanto por parte as famílias como por parte dos indivíduos.

Quem pode solicitar o bónus?

O bónus de férias consiste numa contribuição de até 500 euros para despesas de estadia em Itália em hotéis, parques de campismo, aldeias e instalações de alojamento e pequeno-almoço. Introduzido pelo artigo 183º do decreto de reabertura, o bónus de férias é um crédito destinado às famílias com um valor ISEE (o indicador de situação económica equivalente, que mede a situação económica das famílias em Itália) não superior a 40.000 euros e pode ser utilizado de 1 de julho a 31 de dezembro de 2020 n as instalações que "estejam na posse dos certificados exigidos pela regulamentação nacional e regional para o exercício do alojamento turístico". Assim, entre os requisitos para ter acesso a este subsídio de férias e aproveitar ao máximo o que o verão 2020 tem para oferecer, o ISEE de uma família não deve exceder os 40.000 euros por ano.

Onde podes solicitar o “bonus vacanze” e a quem?

Não é necessário solicitá-lo ao INPS (Instituto Nacional de Segurança Social em Itália), uma vez que o subsídio de férias 2020 é solicitado diretamente ao alojamento onde se encontra hospedado, sob a forma de um desconto de 80% sobre o montante devido e os restantes 20% sob a forma de uma dedução fiscal na declaração de impostos. O prestador de serviços é reembolsado com um crédito fiscal a ser utilizado exclusivamente como compensação "com opção de fornecimento subsequente a terceiros, incluindo outros que não os seus próprios fornecedores de bens e serviços, bem como a instituições de crédito ou intermediários financeiros".

O bónus de 500 euros será concedido apenas a grupos de três ou mais membros que cumpram os critérios, baixando para 300 euros para grupos de duas pessoas e 150 euros para um único indivíduo.

O protesto da Airbnb

Entre os requisitos de acesso ao bónus de férias 2020 figura que o pagamento ao estabelecimento deve ser efetuado "sem a assistência ou intermediação de plataformas operacionais ou portais que não sejam agências de viagens e operadores turísticos". Esta é uma condição que suscitou protestos entre as plataformas online e, em particular, por parte da Airbnb, que afirma que este regulamento dá origem a uma espécie de "discriminação" contra as pessoas que pagam em portais online.

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista