As alterações de preços de apartamentos e moradias em Itália ao longo do último ano

Comprar imóveis em Itália em 2021
Comprar imóveis em Itália em 2021 / Foto de Sophie Wrixon em Unsplash
11 março 2021, Redação

A pandemia da COVID-19 tem dominado Itália desde há mais de um ano, e durante este período, o mercado imobiliário do país tem procurado novas ideias para fazer face à evolução da demanda, à flutuação dos preços e à redução da procura. Quando se trata de preços de tipos específicos de imóveis, em Itália, em média, os preços dos apartamentos aumentaram mais (+2,6%) do que os das moradias (-0,1%), embora a situação varie muito dependendo das áreas geográficas. Isto é revelado por um relatório do idealista/data, que analisou o mercado para estes 2 tipos de imóveis, medindo as variações de preços de janeiro de 2020 a janeiro de 2021. Vamos analisar mais de perto as alterações de preços dos apartamentos e moradias à venda em Itália durante o ano passado.

O preço dos apartamentos em Itália

No que diz respeito a apartamentos em Itália, no último ano, a província que registou o maior aumento de preços por metro quadrado para este tipo de imóvel foi a província de Milão (+19,6%), com um preço médio de 2.793 euros/m2 pedido pelos vendedores.

Seguem-se 3 províncias, Lucca, Modena e Udine que, de janeiro de 2020 a janeiro de 2020 viram um aumento de 7,1% nos preços pedidos por m2 de apartamentos para venda. O que varia, contudo, é o preço médio, sendo o mais elevado registado na província de Lucca (entre os mais caros em Itália) de 2.630 euros/m2. Em Modena e Udine os valores são de 1,620 euros/m2 e 1,552 euros/m2, respetivamente.

No entanto, as províncias com os preços médios mais caros são novamente diferentes. Os apartamentos mais caros de Itália situam-se em Bolzano por 3.759 euros/m2 (+6,2%), seguido de Savona por 3.267 euros/m2 (+1%) e Florença por 3.024 euros/m2 (+4,3%).

Por outro lado, a província italiana que registou a maior descida nos preços de apartamentos durante o período em análise é Isernia (-8,8%), onde o preço médio de venda é de 840 euros/m2. Segue-se Pistoia, com uma queda de 7,1%, elevando o preço médio para 1.360 euros/m2. O desempenho da província de L'Aquila seguiu-se, com quedas de preços de 6,9% e preços médios de 1.186 euros/m2.

O preço das moradias em Itália

No que diz respeito à tendência dos preços das moradias, especificamente das independentes, ao longo do último ano, o desempenho dos preços na província de Sassari destaca-se acima de todos os outros. De janeiro de 2020 a janeiro de 2021, os preços na província de Sassari subiram 9,1% (para uma média de 2.429 euros/m2). Houve também um salto notável na província de Nápoles (+8,6%), onde o preço médio pedido para este tipo de propriedade subiu para 1.961 euros/m2.

Registaram-se também aumentos notáveis na província de Régio Emilia, onde os preços de venda das moradias aumentaram 6,5% para uma média de 1.376 euros/m2. A província de Lucca é também uma das mais bem-sucedidas em termos de tendências de preços das moradias: +6% num ano e valores médios a 2.608 euros/m2. O mesmo aumento percentual também foi registado em Agrigento, onde, no entanto, os vendedores médios pediram um preço mais baixo de 968 euros/m2.

Bolzano é confirmada como a província com os preços mais elevados por m2 para moradias, assim como apartamentos com preços médios de 3.148 euros/m2. Seguem-se nesta lista a Toscana, que tem 3 províncias entre as mais caras para comprar uma moradia: Grosseto (2.733 euros/m2), Lucca (2.608 euros/m2) e Livorno (2.587 euros/m2). Os preços médios de venda de moradias nas províncias de Sassari e Imperia são de 2.429 euros/m2 e 2.441 euros/m2 respetivamente.

Passando aos desempenhos menos brilhantes, mas que representam boas notícias para os compradores, a província em que os preços das moradias desceram mais é Caltanissetta (-6,9%), onde se observa um preço médio pedido de 622 euros/m2. Ainda em Sicília, Catânia também registou uma descida de valores 5,6% (1.064 euros/m2), enquanto que em Lecco (-6,5%) e Macerata (-5,8%) se agravaram, com uma média de 1.449 e 1.079 euros/m2, respetivamente.

Preços dos imóveis nas principais cidades italianas

Centrando-nos nas principais cidades italianas, Milão mostra o maior aumento nos preços dos apartamentos (18,8%), enquanto que o segundo lugar, em termos dos preços mais elevados por m2 (4.075 euros), Veneza com uma média de 4.500 euros/m2. Veneza e Milão viram os valores das villas aumentar 11,2% (3.600 euros/m2) e 11% (3.635 euros/m2), respetivamente.

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista