Quanto custa arrendar em Itália? Os preços descem depois de um ano de pandemia

Preços de arrendamento em Itália em 2021
Preços de arrendamento em Itália em 2021 / Foto de canmandawe em Unsplash
26 abril 2021, Redação

Quanto custa arrendar em Itália? A boa notícia, se estás a pensar arrendar um imóvel em Itália, é que 12 meses após o início da pandemia, os preços de arrendamento em Itália estão finalmente a mostrar um primeiro declínio real após uma longa série de aumentos, com uma diminuição de 0,9% no primeiro trimestre de 2021. Isto de acordo com um recente relatório de preços publicado pelo idealista.

De acordo com Vincenzo De Tommaso, Chefe do Gabinete de Estudos do idealista: "a pandemia desencadeou o fim do ciclo expansionista dos preços de arrendamento em Itália, preços que parecem já ter atingido o seu nível máximo. Os mercados mais dinâmicos, tais como Milão, Veneza, Florença, são os mais afetados pelo bloqueio das atividades económicas, do turismo às viagens de negócios e antecipam uma tendência descendente que, provavelmente, veremos refletida nos próximos meses noutros mercados, ao mesmo tempo que vemos também que a oferta de propriedades em arrendamento aumentou 44,7% nos últimos 12 meses".

Preços de arrendamento nas regiões italianas

Apesar das reduções de preços a nível nacional, a tendência trimestral dos preços de arrendamento nas regiões de Itália continua a ser de uma clara prevalência de aumentos de preços em 14 das 20 áreas analisadas, lideradas por Basilicata (5,2%), Veneto (3,8%) e Calábria (2,5%). Por outro lado, verificaram-se descidas de preços de arrendamento na Lombardia (-2,4%), Molise (-2,1%) e Úmbria (-1,9%). Descidas inferiores a 1% foram também registadas em Piemonte (-0,7%), Lácio e Ligúria (ambos -0,2%).

Apesar da diminuição trimestral, a Lombardia (14,8 euros/m2) é ainda a região mais cara, ultrapassando Lácio (12,4 euros/m2), Toscana (12,2 euros/m2), Trentino-Alto Ádige (11,7 euros/m2), Vale de Aosta (11,2 euros/m2) e Emília-Romanha (10,9 euros/m2). Todas as outras regiões estão abaixo da média nacional, variando entre 9,2 euros em Veneto e 5,3 euros em Molise, a região mais barata para arrendar em Itália, ultrapassando a Calábria a 5,4 euros/m2.

Preços de arrendamento nas províncias italianas

60% dos mercados provinciais em Itália ainda mostram tendências positivas no que diz respeito às rendas, com valores por vezes inflacionados pela forte presença do produto com os preços unitários mais elevados, que, antes da crise sanitária, se destinavam a arrendamento de curta duração. Isto explica os aumentos anómalos dos preços nas províncias de Grosseto (44,8%), Massa Carrara (29,4%) e Rimini (19%), que são compensados pelas fortes descidas em Pordenone (-10,8%), Sondrio (-6,6%) e Forlì (-6,3%).

Com um valor de arrendamento médio de 17,4 euros por mês, Grosseto tornou-se a província com os preços de arrendamento mais elevados em Itália, à frente de Milão (17 euros/m2) e Ravena (15,9 euros/m2). Por outro lado, as províncias mais baratas para arrendar em Itália são Avellino (4,7 euros/m2), Caltanissetta (4,6 euros/m2) e Enna, no fundo da lista com 4,3 euros/m2.

Preços de arrendamento em cidades italianas

Monza e Bergamo são os únicos mercados que não sofreram quaisquer alterações nos últimos três meses; Ascoli Piceno (9,8%) representa a maior subida nos preços de arrendamento neste período, seguido por Catanzaro e Verbania (ambos 8,1%), Treviso (6,7%) Teramo (6,1%) e Parma (6%). No extremo oposto do espectro, Udine (-9,1%), Vercelli (-9%) e Sassari (-8,9%) registaram as maiores descidas.

Veneza (-3,9%) e Milão (-3%) apresentam as descidas mais fortes a nível dos grandes mercados, seguidos de Turim (-1,9%) e Bolonha (-1,6). Ajustes menores nos preços de arrendamento são observados em Nápoles, Florença (ambos -1,3%) e Roma (-0,5%).

Milão é a rainha dos preços de arrendamento como a cidade mais cara de Itália para arrendar em 2021, com preços médios de 17,8 euros/m2, à frente de Florença, Bolzano (ambos 14,5 euros/m2) e Veneza (14,5 euros/m2). Caltanissetta (4,1 euros/m2) encerra a classificação precedendo Agrigento (4,3 euros/m2), Vibo Valentia e Cosenza (4,5 euros/m2).

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista