Coronavírus: regras atuais para viajar a Itália

Foto de Vidar Nordli-Mathisen em Unsplash
Foto de Vidar Nordli-Mathisen em Unsplash
6 julho 2020, Emma Donaldson

À medida que Itália se recupera gradualmente após a pandemia da COVID-19, a indústria do turismo procura retomar a sua atividade durante o verão de 2020. Itália já reabriu as suas fronteiras a alguns visitantes internacionais, mas não a todos. Aqui tens um guia rápido sobre quem pode viajar a Itália atualmente.

Quem pode viajar agora a Itália?

As primeiras restrições fronteiriças em Itália foram levantadas no dia 3 de junho de 2020, quando os visitantes de vários países foram autorizados a aceder sem restrições ao país para fins turísticos e outros, ao mesmo tempo que foram levantados os requisitos de quarentena. Os países que foram autorizados a visitar a Itália a partir de 3 de junho são:

  • Os outros 26 estados membros da União Europeia
  • Reino Unido
  • Outros membros do Espaço Schengen: Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça
  • Vaticano, Mónaco, São Marino e Andorra

Nos mesmos termos, os residentes italianos que viajam para o estrangeiro também não são obrigados a cumprir um período de quarentena de 14 dias quando regressam a Itália.

Quando é que os turistas de outros países serão autorizados a viajar a Itália?

O turismo é atualmente permitido dentro da Europa, no entanto todas as outras viagens não essenciais a Itália, a partir de qualquer lugar fora da Europa, não são permitidas desde o dia 17 de março e continuam proibidas.

A União Europeia está agora a levantar restrições em toda a Europa e a maioria dos Estados Membros aprovou uma lista de 15 países, conhecida como a "lista segura". Esta lista é composta por 15 países considerados seguros devido à sua situação epidemiológica COVID-19. Por conseguinte, os viajantes originários da Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, foram autorizados a entrar na Europa a partir de 1 de julho de 2020. A China está também provisoriamente incluída nesta lista, mas apenas na condição de que as autoridades chinesas aprovem um acordo de reciprocidade. Os EUA foram deixados de fora da lista.

Itália decidiu, no entanto, não aderir a esta medida e continua a proibir os viajantes não pertencentes à UE. Por conseguinte, Itália não receberá, de momento, quaisquer visitantes destes países "seguros" não pertencentes à UE, numa tentativa de evitar quaisquer novos surtos em massa de coronavírus. Na mesma linha, mantém também o período obrigatório de quarentena de 14 dias para todos os viajantes que chegaram de uma nação não pertencente à UE, e isto aplica-se mesmo que tenham atravessado ou parado noutro país do Espaço Schengen durante o percurso.

É possível viajar a Itália proveniente de países fora da UE em caso de emergência?

Existem várias excepções em que é possível viajar a Itália, desde um país não pertencente à da UE, (nas quais o período obrigatório de quarentena de 14 dias deve ainda ser respeitado).

  • Se és residente em Itália mas, estás atualmente fora do país e fora da UE, então podes regressar ao teu local de residência em Itália.
  • Aqueles que viajam a Itália, desde países não comunitários, por trabalho comprovado ou necessidades de saúde urgentes, também serão autorizados a atravessar as fronteiras da Itália.

Antes de viajar a Itália, deves fazer uma boa pesquisa, junto à embaixada do teu país em Itália, para obter os últimos conselhos e restrições. Os conselhos de viagem mais recentes para cada país da UE também podem ser encontrados consultando a página web Reopen EU, uma nova ferramenta digital lançada pela União Europeia com as informações mais recentes sobre a situação de saúde e viagens de países de toda a Europa.

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista