Quanto tempo é necessário para vender um imóvel em Itália em 2020?

Quanto tempo é necessário para vender um imóvel em Itália em 2020?
Gtres
11 janeiro 2021, Redação

Quanto tempo é necessário para vender um imóvel em Itália em 2020? Segundo Tecnocasa, embora a chegada da pandemia tenha colocado o mercado imobiliário em espera e possa não parecer o melhor momento para comprar ou vender um imóvel, não parece ter afetado particularmente o tempo necessário para vender um imóvel em Itália.

 O tempo médio para a venda de casas nas grandes cidades italianas (em dias)
 O tempo médio para a venda de casas nas grandes cidades italianas (em dias)

O tempo necessário para vender um imóvel é um indicador da saúde do mercado imobiliário. A sua análise, ao longo dos anos, tem sido um verdadeiro teste decisivo para o mercado imobiliário. Este estudo, realizado pelo Gabinete de Estudos Tecnocasa em Itália desde 2010, está limitado às grandes cidades. Os resultados destacam um pico em 2012, quando se registaram os maiores tempos para vender um imóvel em Itália, também recordado como o pior ano para o mercado imobiliário no país. A abundante oferta de propriedades e bancos mais relutantes em fornecer crédito dilatou ao máximo o tempo necessário para fechar as negociações imobiliárias. No entanto, desde 2013, o número de dias necessários para vender um imóvel tem vindo a diminuir constantemente e as casas em Itália têm vindo a estar cada vez menos tempo no mercado.

Tendo em consideração as grandes cidades, os seus subúrbios e capitais de província, os números mostram que, nas grandes cidades italianas, o tempo necessário para vender um imóvel é de 112 dias em comparação com os 122 de há um ano atrás. Nas capitais de província, regista-se uma média de 149 dias, enquanto que este número se situa numa média de 154 dias nos subúrbios das grandes cidades. Estas duas últimas realidades, bastante surpreendentemente, não registaram alterações significativas. Entre as grandes cidades, os tempos de venda mais longos em 2020 correspondem a Bari (178 dias) e Verona (142 dias). Por outro lado, as cidades "mais rápidas" são Milão (56 dias) e Bolonha (57 dias).

Imediatamente após o confinamento da primavera de 2020 em Itália, houve uma corrida para comprar casa porque as pessoas queriam uma rápida mudança de estilo de vida, compradores que procuravam mais espaço e áreas exteriores, entre outros elementos. Os potenciais compradores em Itália foram mais rápidos e mais decisivos, e, movidos pelo desejo de comprar, enquanto que os vendedores estavam mais dispostos a aceitar as propostas da contraparte devido à incerteza económica provocada pela pandemia, principalmente devido ao receio de um novo confinamento. Além disso, houve também vendas de casas de férias durante o período influenciadas pelo desejo de uma "mudança de cenário". Estas transações também se realizaram rapidamente e com capital próprio.

Os compradores cuja situação de rendimentos não foi afetada pela crise económica induzida pela pandemia e aqueles para quem uma melhor compra já não podia ser adiada eram os mais rápidos. Como vendedor, aqueles que precisavam de mudar de casa ou que precisavam de encontrar liquidez eram também os mais rápidos. Num último ponto, o estudo reconhece também que, desde setembro de 2020, a rede de habitação residencial em Itália tem vindo a abrandar e que os imóveis têm passado mais tempo no mercado.

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista