Os arrendamentos de longa duração são cada vez mais populares em Milão em 2020

Dados da empresa de arrendamento de apartamentos, Italianway, demonstram a popularidade dos arrendamentos a longo prazo na segunda cidade mais habitada de Itália

Os arrendamentos de longa duração são cada vez mais populares em Milão para 2020 / Gtres
Os arrendamentos de longa duração são cada vez mais populares em Milão para 2020 / Gtres
20 janeiro 2020, Redação

Milão já não é apenas um destino popular para visitas curtas. De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de arrendamento de apartamentos Italianway, a capital da Lombardia também é cada vez mais procurada para estadias longas.

Os arrendamentos de mais de 30 dias e até 18 meses em Milão são escolhidos não só por viajantes de negócios, mas também por estudantes universitários internacionais e doutorandos que estão a transformar Milão num destino ideal para quem quer estudar em Itália: verificou-se um aumento de 174%, de acordo com a Italianway, com cerca de 160 propriedades arrendadas para um volume de negócios de mais de 5 milhões de euros.

Portanto, os dados indicam uma tendência que vê crescer Milão atrás de outras cidades italianas, como Roma e Florença, locais tradicionalmente favoritos aos olhos dos estudantes de todo o mundo que querem passar um ano em Itália.

" A procura de arrendamentos a médio prazo por parte de gestores, investigadores e estudantes universitários estrangeiros com uma elevada capacidade de investimento está a crescer por parte dos proprietários. A empresa Italianway conseguiu estabelecer alianças estratégicas com mais de trinta agências de viagens online (OTAs) especializadas nestes segmentos", explica Marco Celani, CEO da Italianway. Geralmente, os estudantes universitários solicitam apartamentos de três e quatro quartos, enquanto que os estudantes de doutorado e mestrado preferem apartamentos menores de dois quartos: todos eles requerem uma conexão à internet que seja rápida, um grande frigorífico, despesas incluídas e possivelmente um serviço de porteiro, que ainda é considerado no estrangeiro como uma garantia de maior segurança. Celani acrescenta: "Também apreciam muito a possibilidade de enviar pacotes e materiais diversos às suas famílias nos nossos pontos de boas-vindas, localizados em pontos estratégicos da cidade, sendo que os locais mais visitados são Bocconi, Marangoni, Cattolica e Naba, e as áreas mais procuradas para a sua estadia em Milão são Navigli, Porta Genova, Centro Storico e Turati (especialmente Marangoni), Brera, Garibaldi, Cadorna".

De onde vêm os investigadores e os estudantes? "Vêm principalmente dos Estados Unidos, Austrália, China, Rússia, Reino Unido, Suécia, França, Suíça, mas também da Índia e Malta", afirma Celani.

Em geral, entre as estadias de longa duração e os arrendamentos mais comuns de médio e curto prazo, foram vendidas 119.000 noites em Milão em 2019 pela Italianway, a quase 40.000 viajantes de todo o mundo (38.754 para ser precisos), hospedados em mais de 500 apartamentos administrados por empresas em Milão. Os viajantes têm uma idade média de 38 anos, sendo que as mulheres são ligeiramente mais jovens que os homens (37 contra 39, respetivamente) numa proporção substancialmente idêntica (51% a 49%) a favor dos homens.

Os viajantes recebidos em 2019 pela Italianway em Milão vieram de cerca 160 países, com uma estadia média de 5 dias e uma despesa média de 540 euros: os hóspedes estrangeiros representam a maioria com 56%. Nas primeiras posições estão os russos (6,3%), com uma idade média de 35 anos e uma despesa média por estadia de 457 euros, os franceses (3,8%), os americanos (3,7%) e os britânicos (3,2%), com uma idade média de 37 anos e uma despesa média por estadia de 647 euros. O número de noites vendidas em média, em 2019, totaliza 54.600, divididas entre os 800 hóspedes de 34 países. Em média, estes hóspedes alojam-se durante 81 dias e gastam 103,51 euros por noite.

Por outro lado, os italianos que escolheram os apartamentos Italianway para sua estadia a médio prazo em Milão, em 2019, reservaram mais de 15.000 noites e equivalem a 27,74% das estadias. Depois, por ordem decrescente, encontramos os viajantes da China (8574 noites, 15,71% do total), Reino Unido (4021 noites, 7,37%), Rússia (2960 noites, 5,42%), Suécia (2207 noites, 4,05%), Espanha (1900 noites, 3.48%), Croácia (1870 noites, 3,43%), Índia (1798 noites, 3,29%), Kuwait (1607 noites, 2,94%), EUA (2.037 noites, 2,00%), Japão (2.025 noites, 2,00%), Canadá (2.025 noites, 2,00%), e Estados Unidos (2.025 noites, 2,00%).

A idade média dos hóspedes Italianway que optaram pela opção de médio prazo em 2019 é de 36 anos, sendo que as mulheres são mais jovens que os homens (32-39 anos), com uma proporção de 53-47% a favor dos homens. Os mais jovens são australianos com uma média de idade de 22 anos.

Em 2019, a Italianway cobrou 262.186 euros de imposto sobre o turismo em Milão para o segmento de arrendamento de curta duração, contra 277.642 mil euros pagos em 2018 (ligeiramente menos devido ao boom do arrendamento a médio prazo em 2019, pelo qual o imposto sobre o turismo não é devido) e 160 mil euros pagos em 2017.

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Preparado para encontrar a casa dos teus sonhos?

Encontra casas à venda e em arrendamento a largo prazo no idealista